6 tendências para o mercado de inteligência artificial

Por Déborah Oliveira em Campus Party 2017

Os pesquisadores norte-americanos Peter Norvig e Stuart Russell, autores de um dos livros mais conhecidos sobre inteligência artificial (AI, na sigla em inglês) apontam que AI é a construção de máquinas que realizam funções que requerem inteligência quando realizadas por seres humanos. Envolve, ainda, automação de tomada de decisão.

Para eles, um sistema de inteligência artificial precisa ter sistemas que pensam racionalmente, sistemas que ajam racionalmente, e, futuramente, pensam como seres humanos e que agem como humanos.

Máquinas inteligentes precisam ter raciocínio, auto-organização e aprendizado, adicionou Carlos Azevedo, pesquisador de inteligência de máquina da Ericsson Research, durante apresentação na Campus Party, realizada de 31 de janeiro a 5 de fevereiro, em São Paulo. Ele explicou, ainda, que dados, algoritmos e computação de alto desempenho são fatores-chave para habilitar AI.

Mas o que o futuro da inteligência artificial nos reserva. Azevedo listou seis tendências na área que devemos ficar de olho. Confira abaixo:

1. Virtualização de tudo

Filmar uma casa ou um prédio e prever a textura dele, para depois aplicar a planta em modelos 3D será algo natural para as máquinas inteligentes, ajudando em diversos segmentos.

2. Atuadores inteligentes

Azevedo lembrou que o assunto do momento é internet das coisas (IoT, na sigla em inglês). Contudo, o cenário atual está muito baseado em sistemas passivos conectados à internet. O futuro, no entanto, será levar inteligência para esses objetos.

3. Inteligência analógica

Embora a digitalização esteja na pauta das empresas, não se pode esquecer que o mundo físico é analógico. A inteligência artificial vai levar isso em consideração. Para se ter uma ideia, o Massachusetts Institute of Technology (MIT) já conta com experimentos na área. Em um deles, objetos conseguem se dobrar na forma desejada. Assim, no futuro, ambientes poderão se adaptar a presença e à inteligência distribuída.

4. Auto-tudo

Chegará o dia em que auto-modificação e auto-cura serão normais. Robôs vão se auto-conhecer e, de acordo, com suas formas físicas aprender a andar e interagir.

5. General AI

Haverá a possibilidade de as máquinas raciocinarem sobre incertezas e resolver conflitos, usando risco versus retorno. Assim, elas vão se adaptar à mudança.

6. Autonomia como serviço

Como uma das características das máquinas é a autonomia, a autonomia como serviço será um grande negócios e tendência.

Veja a fonte: Itforum365

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *